Membresia

9 considerações sobre os dois cultos no domingo

BAIXE O ARTIGO

Por que o Conselho convoca a congregação para cultuar duas vezes?

1. Não há uma ordem direta da Bíblia para fazer isso. Mas tenha em mente que também não há uma ordem direta para as mulheres participarem da Ceia do Senhor. Às vezes, derivamos práticas na Igreja a partir do ensino bíblico e suas implicações. Algumas coisas em nosso culto são extraídas das Escrituras por uma finalidade boa e necessária.

2. No Antigo Testamento, havia sacrifícios de manhã e de noite, veja Números 28.4, Esdras 3.3 e outras passagens.

3. No início da era do Novo Testamento, os primeiros cristãos se reuniam no Dia do Senhor tanto pela manhã quanto à noite, continuando a prática que tinham como judeus. Por isso, a igreja do Novo Testamento não mudou o que sempre foi feito pelo povo de Deus. Eles mantiveram o princípio de cultuar duas vezes, embora a vinda de Cristo significasse uma mudança para cultuar duas vezes no Dia do Senhor.

4. Não existe apenas um argumento bíblico/teológico, existem também boas razões práticas. Uma seria que ter dois cultos ajuda a manter a característica do Dia do Senhor como um dia de adoração.

5. Outra boa razão prática seria que o Espírito trabalha com a Palavra para transformar vidas. Assim, seria prudente ter mais, e não menos, oportunidades para o povo de Deus sentar-se ante a pregação.

6. Quando temos dois cultos, há uma maior oportunidade para os pastores fornecerem uma dieta equilibrada de pregação e ensino para a congregação. A congregação se beneficia de receber mais ensinos e uma gama mais ampla de textos ou assuntos (como na pregação do Catecismo).

7. Existe uma qualidade de vida espiritual que se desenvolve e floresce em torno dos dois cultos a Deus no Dia do Senhor. Há algo sobre estar na igreja com o povo de Deus duas vezes aos domingos que tem um efeito maravilhosamente positivo, produzindo não apenas indivíduos cristãos, mas toda uma cultura cristã, um estilo de vida em comunidade que se distingue pelo seu cuidado, qualidades cristãs e um zelo missionário que alcança o mundo inteiro.

8. Finalmente, o conselho convoca a congregação para cultuar duas vezes, esperando que desejemos adorar duas vezes. Por que algum crente não quereria cultuar a Deus e se submeter aos meios da graça (Palavra e Sacramento) tantas vezes quanto possíveis?

9. As últimas razões não nos obrigam a ter dois cultos como tal (em outras palavras, poderíamos usar essas razões para defender três ou quatro cultos). No entanto, o princípio de “mais, e não menos” justifica ter dois cultos contra apenas um.


Tradução: Gabriel Reis.

Revisão: Iraldo Luna.

Fonte: Reformed Outfitters.

O website revistadiakonia.org é uma iniciativa do Instituto João Calvino.

Licença Creative Commons: Atribuição-SemDerivações-SemDerivados (CC BY-NC-ND). Você pode baixar e compartilhar este artigo desde que atribua o crédito à Revista Diakonia e ao seu autor, mas não pode alterar de nenhuma forma o conteúdo nem utilizá-lo para fins comerciais.

Próximo artigo O Batismo e a Aliança
Artigo anterior Encontrando os diáconos dos quais necessitamos

Artigos relacionados

Comentários com o Facebook (0)

Comentários com o Wordpress (0)

0 Comentário

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário

Os seus dados estão seguros! Seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados com *

15 + 12 =