Presbiterato

Como posso saber se sou vocacionado ao presbiterato?

BAIXE O ARTIGO

A menos que a Igreja o chame, ele deve ficar quieto.

Caros leitores, nós estamos diante de uma pergunta muito importante para a Igreja do Senhor Jesus Cristo, porque os presbíteros são os pastores do rebanho do Senhor. São eles que velam pelas almas daqueles a quem Cristo resgatou com o seu precioso sangue (Hb 13.17). Cristo tem um grande amor por sua igreja e quer homens fiéis cuidando daquelas pessoas por quem ele morreu. Portanto, todo homem que deseja ser presbítero na Igreja de Cristo, deve considerar atentamente aquele diálogo registrado em João 21.15-17. Ou seja, assim como Pedro, os demais presbíteros da Igreja devem pensar seriamente na natureza do seu chamado, pois eles foram vocacionados por Deus para colocarem em prática o seu amor por Jesus Cristo, ao cuidarem das ovelhas do seu Senhor.

Então, como alguém pode saber se, de fato, ele é vocacionado ao presbiterato? A resposta está em 1 Timóteo 3.1-7 e em Tito 1.5-9. Nesses textos, o apóstolo Paulo mostra que não basta alguém querer ser um presbítero na Igreja de Cristo. É preciso que ele preencha os requisitos listados pelo apóstolo. Não é suficiente querer ser um pastor na Igreja do Senhor se não estiver qualificado para isso. Desta forma, é correto afirmar que, aquele que aspira ao episcopado, olhe para a sua própria vida e enxergue as qualificações necessárias para assumir esse ofício. Se ele deseja ser um presbítero, mas não é irrepreensível, nem esposo de uma só mulher, nem temperante, nem sóbrio, nem modesto, nem hospitaleiro, nem apto para ensinar, é um homem dado ao vinho, violento, gosta de contendas, é avarento, não governa bem a própria casa, não cria seus filhos com disciplina e é novo na fé, então não adianta nada possuir o desejo de ser um oficial na Igreja do Senhor.

Além disso, é primordial que essas qualificações sejam claras para a Igreja na qual ele pretende ser presbítero. Ele não pode se autoproclamar um oficial em sua Igreja. É preciso que ela reconheça os seus dons, e as suas qualificações bíblicas, e assim faça um chamado legítimo a ele. Pois, “cada um deve cuidar para não se intrometer no ofício de modo impróprio; pois deve esperar pelo momento da sua vocação, por ser certo e seguro que está é do Senhor” (Artigo 31 da Confissão Belga). Esse chamado é crucial e, a menos que a Igreja o chame, ele deve ficar quieto. Porem, se ela o chamar, então esse é o momento de responder a esse chamado, pois, certamente, ela já olhou para ele de acordo com os critérios da Palavra de Deus.

O chamado da igreja é de suma importância nesse sentido porque, mesmo que alguém se ache incapaz de exercer o ofício presbiteral, ainda assim, é preciso considera-lo, pois a Igreja é guiada pelo Espírito Santo para chamar os capacitados para o ofício. Portanto, é pelos olhos da Igreja que alguém pode ter a plena certeza de que, realmente, é um vocacionado por Deus.


Revisão: Ester Santos.

O website revistadiakonia.org é uma iniciativa do Instituto João Calvino.

Licença Creative Commons: Atribuição-SemDerivações-SemDerivados (CC BY-NC-ND). Você pode baixar e compartilhar este artigo desde que atribua o crédito à Revista Diakonia e ao seu autor, mas não pode alterar de nenhuma forma o conteúdo nem utilizá-lo para fins comerciais.

Próximo artigo Os oficiais e a censura fraternal
Artigo anterior Preparação para a Ceia do Senhor: Autoexame, detestando a mim mesmo

Artigos relacionados

Comentários com o Facebook (0)

Comentários com o Wordpress (2)

2 Comentários

  1. Acredito que uma boa analogia para ilustrar esta questão é o fenômeno do ímã (aquilo que atrai. Dicionário Houaiss). Guardando as devidas proporções e questões científicas: quando dois ímãs estão em certa posição se atraem; quando em outra se repelem. De modo semelhante, quando Deus vocaciona, Ele chama, atrai; do contrário Ele repele. Portanto, quando o cristão almeja o ofício e é vocacionado, a igreja chama, atrai. O Pr. Laylton definiu bem isso no enunciado: “A menos que a Igreja o chame, ele deve ficar quieto”.

    Responder

Deixe um comentário

Os seus dados estão seguros! Seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados com *